Renata Dias | Let's Go Entrelinhas: nós podemos, flores, ser...

Renata Dias é colunista da Let's Go Bahia

Renata Dias Colunista da Let's Go Bahia


Para quem um dia se viu pequenino e passeou despercebido por entre as muitas mudas com quem divide a existência, reconhecer ter a capacidade de desenvolver-se e de grão, semelhante a tantos outros, virar pura beleza é um momento de celebração.


É depois desse romper da casca que todas as possibilidades se apresentam e isso não quer dizer que tenha chegado a cessação das dificuldades, mas, certamente, quem um dia foi semente agora está pronto para seguir em frente, consciente dos seus dons e potenciais latentes.


Ver-se florescer é reconhecer que, apesar das barreiras impostas no caminho, a sua coragem foi recompensada e valeu todo o sacrifício. Que finalmente chegou o gozo, o riso, o regozijo. A pureza, a sutileza, a fortaleza.


O florescimento não deixa de ser um despertar para um novo mundo, com novos desafios e novas recompensas, pois, ao atingir esse estágio, deixamos de nos guardar dentro de nós e nos doamos ao outro, ao todo, com autenticidade e maestria. Sem títulos de derrotas, apenas de superação. Sem receios. Somente com a certeza de que nós podemos, flores, ser!


Vamos às dicas desta edição:


“A Coragem de Ser Imperfeito”Da autora norte-americana Brené Browm. Conheci o trabalho dela após receber um link de uma palestra que fala sobre o poder da vulnerabilidade, e virei fã. Nessa obra, ela traz informações, frutos de pesquisas realizadas ao longo de 12 anos de investigação, sobre como, muitas vezes, nos isolamos, deixando de experienciar as verdadeiras transformações; não vivenciando o amor, a aceitação, a empatia e a criatividade na sua totalidade por estarmos acorrentados pelo medo, pela vergonha e por outras susceptibilidades.

Livro traz frutos de pesquisas realizadas ao longo de 12 anos de investigação, sobre como, muitas vezes, nos isolamos

Seu lema, que está de acordo com a fala de Theodore Roosevelt em “O Homem na Arena”, como citado no livro, é viver com ousadia e honrar aqueles que se entregam por inteiro, porque as pessoas mais realizadas são aquelas que não têm medo de arriscar e mergulham profundamente nos seus propósitos, mesmo diante da autocrítica e do julgamento alheio.


Nesse momento, a vida se torna uma escola e tirar nota baixa faz parte do aprendizado e faz com que nos empenhemos ainda mais no aperfeiçoamento, na forma de nos relacionarmos com o mundo e com nós mesmos.



“O Aprendiz de Cozinheiro” Do jornalista Bob Spitz, autor da renomada biografia dos Beatles, relata a aventura que mudou a sua vida após o fim do seu casamento e a chegada dos 50 anos. Sozinho, em crise e sem saber que rumo tomar dali por diante, após tentar capitanear fogões em jantares para amigos e muitos insights, ele resolveu entregar-se a uma das suas grandes paixões: a culinária. Atravessou o Atlântico e frequentou escolas na França e Itália, aprendendo com grandes chefs de pequenos bistrôs e até com os mais famosos de restaurantes parisienses.

Compartilha receitas e conta os segredos culinários

Descreve com detalhes as cidades em que esteve, os percalços e aprendizados, compartilha receitas e conta os segredos culinários que consumiu na sua peregrinação.


Remeteu-me um pouco ao conceito de “Comer, Rezar e Amar”, de Elizabeth Gilbert, que seria um dos livros que poderia citar por aqui, mas com outros temperos e o ponto de vista masculino de uma aventura destemida e transformadora, rumo a outros lados de si mesmo.


“Eu Sou Malala”Conta a história da jovem paquistanesa Malala Yousafzai desde a sua infância, marcada pela desigualdade social, quando decidiu usar a sua voz para falar sobre a valorização da mulher e defender os direitos à educação após o Talibã ter proibido as jovens de frequentarem as escolas. Ela foi baleada na cabeça e quase perdeu a vida. “Os terroristas pensaram que mudariam os meus objetivos e freariam as minhas ambições, mas nada mudou na minha vida, exceto isto: fraqueza, medo e falta de esperança morreram. Força, poder e coragem nasceram”, disse a ativista em um discurso na sede da ONU, em que ressalvou que a educação é a única solução para o avanço das sociedades.

Malala, aos 21 anos de idade, é a mais jovem laureada com um prêmio Nobel da Paz

Hoje, aos 21 anos de idade, é a mais jovem laureada com um prêmio Nobel da Paz e considerada uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Floresceu em um ambiente nada propício e vem provando que não podemos permitir que as convenções nos limitem, que existe uma força que transcende a regra e nos eleva a um patamar de soberania dos nossos sonhos e ideais.

Espero que se permitam experimentar as divinas sensações do florescer! Até a próxima edição.

Av. Professor Magalhaes Neto, 1856, sala 603, Caminho das Árvores, Salvador Bahia.

CEP: 41810-011

Telefone:  +55 71 ‭3042-2440 

Nossos Contatos:            comercial@letsgobahia.com.br            financeiro@letsgobahia.com.br               redacao@letsgobahia.com.br 

  • Branco Facebook Ícone

©2019 V2M Editora Ltda.

Timbrado-Baseforte.png